quarta-feira, 17 de setembro de 2008

a crú

Constatando o obvio, ou nem por isso
Como vejo…




Mulher,
No verdadeiro sentido da palavra …completo.
De personalidade forte. Sempre sincera e directa, conjugação por vezes explosiva.
Surpreendente, a forma de agir perante as mais variadas situações sendo praticamente imprevisível nas mais diversas reacções e/ou investidas.
Fria à superfície, no entanto, deveras sensível e sentimental. Envolta em sentimentos quase extremistas na sua plena consciência.
Amiga, na essência da amizade…na presença, tanto como na ausência.
Desprovida de qualquer sentido de arrumo doméstico por opção, informal pela simples razão de ser confortável, não perdendo o sentido prático.
Sem nenhuma noção de orientação espacial, a eterna confusão entre a direita e a esquerda… co-piloto desastroso na inevitável descoberta de novos caminhos secundários ou atalhos.
Com uma invejável memória fotográfica e dotada de grande inteligência e originalidade que afinca, sem dúvida, o exotismo da sua identidade.
Incrivelmente independente e sociável. Reveladora de interesse genuíno e perspicácia arguta enfaseando o seu evidente carácter analítico.
Irascível, no sentido de ser compulsiva, em particular no sentido negativo das situações, embora sendo-o também, de forma mais comedida, no positivo (mas sempre evidenciando o que pensa).
De princípios vincados, notoriamente provenientes da sua experiencia de vida. Experiencia essa que tornou liberal, consciente de que futilidades são dispensáveis, sendo portanto sempre honesta e crua.
Sexualmente desenvolvida, dona de um incrível poder nato de sedução, sendo um constante desafio para alargar horizontes em busca do mútuo e incessante prazer que vai para além de meramente carnal.
De facto, evoluída e matura no sentido prático, em todas as questões.





Olhos profundos e orelhas pequenas (que me perco na suavidade)
Esguia, delicadamente feminina, embora que de uma forma despropositada e completamente inconsciente, camuflada por uma postura rija tipicamente austera.
Costas perfeitamente simétricas de toque aveludado desde o pescoço, omoplatas, coluna e por fim, ancas. (o sinal que tens na anca esquerda…)
Barriga apelativa e serpenteante, condizente com a sensualidade dos movimentos das ancas e tronco quando inspirada.
E incrivelmente sexy na forma íntima, sendo até aí, prática directa e deliciosamente compulsiva.






Nenhuns dos factores aqui expostos deverão ser encarados como virtudes ou defeitos, apenas características.



Preenchente o suficiente ao ponto de fazer questionar se é de facto preenchida, e se se sentirá correspondida.

Poderá este indigente corresponder ao que vê à sua frente?


Descrição o mais cru que consigo, evitando divagar e sendo o mais fiel que consigo ao que vejo, fugindo aos rodeios, daí não me alongar muito na forma física…







É assim que os meus olhos vêem .
Que vêem os teus?



10 comentários:

mnemosyne disse...

...como arado no solo...

Deixo-te um sorriso :)

Attitude Problem disse...

Vêem para além de letras e palavras... o resto é só meu. Não conto. Não falo. Não comento.


Um beijo (para além das emoções)

Freyja disse...

Caro Moon_T,

Conhecer o outro como a nós própios (dentro das limitações existencias nos vários universos paralelos) dessa maneira só pode ser qualquer coisa que não lhe sei o nome.

Um grande Bem hajas.


Cumprimentos,





[Racionalizando - Análises dependem do estado de espirito porque no fundo todos somos iguais, queremos o mesmo, com mais ou menos cicatrizes...]

Cris... disse...

Mas que linda maneira de juntar letras que parem palavras belas!

Pearl disse...

Gostei imenso de reconheceres a crueza dessa mulher que falas, é uma caracteristica um tanto forte...por vezes choca...mas é muito aliciante!
Um pouco de crueza nunca fez mal a ninguem!aliás acorda os outros!

Beijo

ivone disse...

As muito feias que me perdoem
Mas beleza é fundamental. É preciso
Que haja qualquer coisa de flor em tudo isso
Qualquer coisa de dança, qualquer coisa de haute couture

Não há meio-termo possível. É preciso
Que tudo isso seja belo. É preciso que súbito
Tenha-se a impressão de ver uma garça apenas pousada e que um rosto
Adquira de vez em quando essa cor só encontrável no terceiro minuto da aurora.
É preciso que tudo isso seja sem ser, mas que se reflita e desabroche
No olhar dos homens. É preciso, é absolutamente preciso
Que seja tudo belo e inesperado. É preciso que umas pálpebras cerradas
Lembrem um verso de Éluard e que se acaricie nuns braços
Alguma coisa além da carne: que se os toque
Como o âmbar de uma tarde. Ah, deixai-me dizer-vos
Que é preciso que a mulher que ali está como a corola ante o pássaro
Seja bela ou tenha pelo menos um rosto que lembre um templo e
Seja leve como um resto de nuvem: mas que seja uma nuvem
Com olhos e nádegas. Nádegas é importantíssimo. Olhos, então
Nem se fala, que olhem com certa maldade inocente. Uma boca
Fresca (nunca úmida!) é também de extrema pertinência.
É preciso que as extremidades sejam magras; que uns ossos
Despontem, sobretudo a rótula no cruzar as pernas, e as pontas pélvicas
No enlaçar de uma cintura semovente.
Gravíssimo é porém o problema das saboneteiras: uma mulher sem saboneteiras
É como um rio sem pontes. Indispensável
Que haja uma hipótese de barriguinha, e em seguida
A mulher se alteia em cálice, e que seus seios
Sejam uma expressão greco-romana, mais que gótica ou barroca
E possam iluminar o escuro com uma capacidade mínima de cinco velas.
Sobremodo pertinaz é estarem a caveira e a coluna vertebal
Levemente à mostra; e que exista um grande latifúndio dorsal!
Os membros que terminem como hastes, mas bem haja um certo volume de coxas
E que elas sejam lisas, lisas como a pétala e cobertas de suavíssima penugem
No entanto sensível à carícia em sentido contrário.
É aconselhável na axila uma doce relva com aroma próprio
Apenas sensível (um mínimo de produtos farmacêuticos!)
Preferíveis sem dúvida os pescoços longos
De forma que a cabeça dê por vezes a impressão
De nada ter a ver com o corpo, e a mulher não lembre
Flores sem mistério. Pés e mãos devem conter elementos góticos
Discretos. A pele deve ser fresca nas mãos, nos braços, no dorso e na face
Mas que as concavidades e reentrâncias tenham uma temperatura nunca inferior
A 37º centígrados, podendo eventualmente provocar queimaduras
Do primeiro grau. Os olhos, que sejam de preferência grandes
E de rotação pelo menos tão lenta quanto a da terra; e
Que se coloquem sempre para lá de um invisível muro de paixão
Que é preciso ultrapassar. Que a mulher seja em princípio alta
Ou, caso baixa, que tenha a atitude mental dos altos píncaros.
Ah, que a mulher dê sempre a impressão de que se se fechar os olhos
Ao abri-los ela não mais estará presente
Com seu sorriso e suas tramas. Que ela surja, não venha; parta, não vá
E que possua uma certa capacidade de emudecer subitamente e nos fazer beber
O fel da dúvida. Oh, sobretudo
Que ela não perca nunca, não importa em que mundo
Não importa em que circunstâncias, a sua infinita volubilidade
De pássaro; e que acariciada no fundo de si mesma
Transforme-se em fera sem perder sua graça de ave; e que exale sempre
O impossível perfume; e destile sempre
O embriagante mel; e cante sempre o inaudível canto
Da sua combustão; e não deixe de ser nunca a eterna dançarina
Do efêmero; e em sua incalculável imperfeição
Constitua a coisa mais bela e mais perfeita de toda a criação inumerável.



in receita de mulher de vinicius



ps: pecaste pela falta de foto. e isso não te perdoo nunca.

Estranha pessoa esta disse...

Sensual. Cru.
Gostei!

Luxúria vs Tentação disse...

Eu diria (após leitura relida 2 ou 3 vezes) que te faltou o principal... Uma mulher que não fale demais, mas apenas o que deve! ;))


Beijo atrevido

Tentação, in Crónica de Pecados(?!)

Anônimo disse...

Graças a Deus que existem mulheres de canela menos fina e mãos quentes e sem ossos por todo o lado!!essas sim mais reais!
Eu acho que tu descreveste uma mulher a sério como tudo o que lhe é inerente...parabéns por isso!
Miudas há muitas mulheres não!!

Beijo para ti!

Anônimo disse...

Peço desde já desculpa meu caro moon-t mas terei que salientar o comment da Ivone.

Cara Ivone apesar de teres transcrito uma letra de Vinicius, confesso que depois de ponderada leitura fiquei confusa não sei descreves uma imagem gótica, uma criança ou uma mulher anoréctica!?
A beleza é sobretudo e mais que uma questão de imagem uma questão de visão e inteligencia, qualidades só presentes numa mulher de verdade, seja feia ou bonita aos TEUS olhos!
Esquecemos os estereótipos e assumamos aquilo que somos!
Dito por Vinicios e transcrito por ti, até parece real!!

Beijo Moon_t

Also...

Disclaimer: All images, unless otherwise noted, were taken from the Internet and are assumed to be in the public domain.In the event that there is still a problem or error with copyrighted material, the break of the copyright is unintentional and noncommercial and the material will be removed immediately upon presented proof.