sábado, 30 de agosto de 2008

Respiro-te (xxx)



Trouxe-te comigo na viagem.


Hoje não só te cheiro…


Respiro-te.





As noites passam e cada vez mais me vicio neste ópio carnal que me consome sem piedade.



Perco o Norte naquele olhar sedutor que nem sei de onde vem. Arde-me o desejo na ânsia daquele toque morno e húmido da língua na minha pele. Dos dentes a abraçarem-me o peito como que se quisessem rasgar a carne.
Uma sensação tão boa que dói, uma sensação que dói, mas tão boa.





Os meus olhos, as minhas feições, gritam de prazer ao ver os lábios e a língua molhada a sentir a minha temperatura a subir.












Como que se os seios se passeiam pelo meu peito, os mamilos roçam na ponta morna do falo.
Confirma-se o desejo… tanto desejo…








Em carícia, segura a mão o sexo, sente o pulsar do coração na palma.







“Aperta”…”Morde”…”Beija”…”Lambe”… palavras que escapam pelos gemidos inutilmente contidos. Impossível controlar tamanho gosto e prazer.
Ordens que se soltam cumpridas à regra de tão boa que é.


“Isso”…




Tudo se sente, mais que nunca. Ardem ambos os corpos… suam…queima.



Sentem-se as línguas invertidas nos sexos ardentes enquanto roçam os corpos e cravam-se as mãos na carne.


Penetra a língua.
Ao passear do pescoço, descendo, deslizando pelas costas, mordendo, contornando e lambendo todo o corpo, penetrando, perdendo a rota desde o coxis ao umbigo ate que volta a subir ate aos lábios. Mistura de sabores divinal.





Reviram os olhos à mesma altura que se enrolam as línguas no dedo em simultâneo.
A minha saliva no corpo.
O sabor do teu sexo em mim.



Apuram-se os sentidos e os olhares desafiantes de prazer confessado, de desejo.
Dois corpos num só… suave, lento, forte, todo. Orgasmos.





Acto que, de facto, se assemelha a uma suave tradução de sentido para alem do carnal… Paixão.





Acalmam-se os corações. Recupera-se o fôlego. Fuma-se um cigarro, fecham-se os olhos e toca alarme… é hora… passou a noite…





Mas deixo-me em ti, deixei-me em ti, fico em ti e parto.






Trago-te comigo na viagem.




Em mim… em todo eu.




Hoje não só te cheiro…




Respiro-te.










By Moon_T

5 comentários:

João C. Santos disse...

Um fechar de olhos, os dedos a escreverem o olhar...

Tremem poucas palavras, sentem duas vozes, o longe do caminho que se faz curto.

As visitas demoram-se nas saudades.

Chega

Pearl disse...

E respiras um ar contaminado de sexo, suor, madrugada, pedaços de paixão... sentimentos viciantes, vicios que por vezes não se conseguem pôr na bagagem na hora da partida!
Deixa-me recuperar o meu próprio ar!
Deixa-me respirar...
Monn_t muito bom!

beijo

Pearl

Touch disse...

Viagem embalada aos ritmos aliciantes gemidos de prazer. Uma viagem carregada de sensualidade e emoção.
Lindo e puro
Cà voltarei para te sussurar mais um pouco
Beijo
Touch

Peach disse...

Parece que não há palavras que cheguem para expressar o desejo e a paixão que sentimos nesses momentos. Chega a doer de tanto querer, e isso é tão bom.
Há pessoas tão especiais que despertam esse sentimento... essa tempestade de sentimentos!
adorei mesmo!

Já escrevi textos(poemas) assim. Enfim...

feliz da musa que te faz escrever assim :)

beijoooooo

Claudia Perotti disse...

Divino desejo que grita os sentidos.

Beijinhossssssssss

Also...

Disclaimer: All images, unless otherwise noted, were taken from the Internet and are assumed to be in the public domain.In the event that there is still a problem or error with copyrighted material, the break of the copyright is unintentional and noncommercial and the material will be removed immediately upon presented proof.