quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Crepúsculo de pesadelo






É neste crepúsculo que decido descansar

Acalmar esta raiva que atravessa

Sento-me, fecho os olhos e respiro

Oiço o interlúdio do vazio

Sinto as sombras entranharem-se em mim.

Revelo este grito mudo só meu

Grito que ninguém ouve, ninguém vê, ninguém …




Tiro a mascara que me cobre a face por momentos

Mas só por momentos…

Por momentos vejo com olhos só meus,

Revelo-me a mim mesmo

Sem reflexos nem complexos.

Por momentos sinto por mim,

Sinto o nada que me envolve, o nada que tenho.

Aqui só eu existo, mais nada, mais ninguém.

Aqui sou eu… só eu.




Revolto-me sozinho contra os dias

Contra tudo

Contra todos…

Afogo o pânico em veneno

E acendo mais um cigarro.


O desespero.


Não permito que a raiva se apodere novamente

Não me deixo cair na “fácil” tentação

(em qualquer esquina, ruela ou beco escuro ).

Não deixo a minha verdadeira cara, quem sou… nem eu sei quem sou,

Sei que não quero ser ninguém que não eu.

Sei que … não sei nada.


Faço o que não quero

Não vejo, não sinto, nem quero.


Grito de raiva!


É o pesadelo.











By: Moon_T

9 comentários:

Mia disse...

De escadas insubmissas, de fechaduras alerta, de chaves submersas, e roucos subterrâneos, onde a esperança enlouqueceu, de notas dissonantes, dum grito de loucura, de toda a matéria escura, sufocada e contraída, nasce o grito claro

António Ramos Rosa

Anônimo disse...

(...)

Eu sou Tudo e Nada.
Sou o fosso, a eternidade,
a horribilidade e a felicidade.
Sou a Insanidade.

Eu sou In Sana!


Welkome to my world...

Be my guest and explore me, everything and nothing,

And please remember...

(Dont) be scared,

ill just explode on your face!



Sinceras "melhoras"!

Anônimo disse...

O melhor conselho que tenho para te dar???
Bem... não sei se vais gostar....
Aqui segue...

Faz das tuas mãos umas garras, delas faz umas facas...
Esventra-te!! Deixa rasgar a carne que te segura... sente a violência do rasgar...
Dói! Depois passa! Mas dói! È bom que te doa! È sinal que ainda estás vivo! Que ainda palpitas debaixo dessa pele.

Agora, com tudo aberto....
Deixa cair tudo para dentro de um alguidar.
Já está??
Agora OLHA!!!!!!!!
Náuseas??
Como de costume....
Agora VOMITA tudo cá para fora!
Agora lê!
Chora
Grita
Despeja
Sorri, mas sorri com desdém....
Agora RI! Ri á gargalhada!
Agora acalma.............
Agora Vive, vive com toda a força que há nas entranhas despojadas de ti!

Baraújo disse...

enquanto nao consigo comentar as tuas linhas. deixa-me q te diga. excelente escolha de imagens...

agora que quase me refiz...

obrigado.

a força com que escreves é imensa... que nos deixa assim... petreficados...

abraço

Peregrina disse...

Palavras expressivas, imagens que prendem a atenção. Um blog muito bem conseguido!

Parabéns :)

ivone disse...

e é assim que na força das palavras tu gritas...e gritas bem alto porque quem te lê ou baixa o volume ou cerra os olhos de vez .


.i

By myself disse...

Sempre fortes as imagens e as palavras.
Gosto.
Bjs

Peach disse...

Agressivamente belo... de tal maneira que nos revolve as entranhas.

carnal, e cheio de raiva... como gosto.parabens!
beijo

Corvo Negro disse...

Ora... que grito arrepiante!

Arrepiante porque quase me vi reflectido em tal grito.

Eis... o meu semelhante.

Eis o abraço, no que não se vê de ti.

Also...

Disclaimer: All images, unless otherwise noted, were taken from the Internet and are assumed to be in the public domain.In the event that there is still a problem or error with copyrighted material, the break of the copyright is unintentional and noncommercial and the material will be removed immediately upon presented proof.