quinta-feira, 26 de junho de 2008

O teu bailado






Contemplo tua mente a fluir pelo teu corpo.
À medida que esta melodia invade o ambiente,
Fico estático... hipnotizado...

Balanceias a cabeça lentamente
De olhos fechados
e sorriso nos lábios
Serpenteias as tuas mãos ao som da música.
Danças como folhas ao vento numa aurora de Outono.

Sobressais do breu que nos envolve
Tua áurea rasga a escuridão do cenário
Qual estrela cadente em noite de Lua nova
Como gritos rasgam um silêncio de morte.

Tocam os tambores ao som do coração...
Rufam como exércitos de aves rumo a norte.
Em convulsões poéticas
Teu corpo copia as chamas da fogueira que nos aquece
Libertas a mente, soltas a matéria e danças...
Como se não pertencesses a qualquer parte.

Misto de desejo, paixão e arte…
Solta-se um beijo longo e apaixonado
E abraçados
Entregamo-nos à sorte.
Pára a música, cai o pano...
Retornamos deste mundo à parte.

Como é lindo o teu bailado.




By Moon_T









6 comentários:

João Videira Santos disse...

Dificil encontrar palavras quando elas se subjugam à beleza de outras...

su disse...

Como feiticeira apenas com o rumo do fio das palavras e a cadência suave e morna do corpo é certo que os pensamenos deambulem à flor da pele e a alma sinta que é cigana, que é filha do vento, que não é pertença de lugar algum ou sequer fruto de raíz desta terra ou de outra qualquer...

Belíssimo poema...

João C. Santos disse...

O que se escreve nas folhas do corpo salta do amor, da paixão ou do desejo?...

e as palavras que deixas que os dedos formem, a tinta que desenhas, a melodia que crias no toque dos sexos?

- falam-te os poros da fantasia? Ou a razão já não existe?

E tudo isto, por quanto tempo? ...

cumprimentos...

Moon T disse...

João Videira Santos:

muito, muito obrigado... bemvindo


su:

como feiticeira de alma cigana, dança sim e ruma a Norte...


Poeta:

Fala-me a melodia, fala-me a alma, fala-me algo algures no meu peito.
Por quanto tempo? Espero que seja enquanto sanguem me correr nas veias... espero...



Obrigado a todos os que comentam e/ou simplesmente lêem.
Não tenho agradecido, falha minha, mas fica desde já o agradecimento.
Bem vindos

Manuel disse...

É um charme que nos deixam de rastos!Ai, as mulheres...! :P

Op.Louca disse...

Entro em silêncio, em silêncio absorvo cada palavra solta que se baila por entre os desabafas (d)escritos, deixo-me envolver ao som desta melodia que me faz estremecer a alma...calmamente deslizo os dedos pelo teclado pra te tentar comentar, e entrego-me ao delirio!!

"...baila sobre a alma que voa perdida nos ventos...deixa a tua fragância cair-se sobre o corpo molhado que te espera...vem sedento de paixão, e trás a leveza de uma pluma esvoaçante...Baila, nesse bailado desenfreado de corpos que se incendeiam...vem bailar-te e fundir-te em mim como um So...!"

:)

Also...

Disclaimer: All images, unless otherwise noted, were taken from the Internet and are assumed to be in the public domain.In the event that there is still a problem or error with copyrighted material, the break of the copyright is unintentional and noncommercial and the material will be removed immediately upon presented proof.