quinta-feira, 19 de junho de 2008

ao som de uma guitarra





I
Visto-me destes sons que me inundam a alma
E me engrandecem o desejo
Fecho os olhos e sinto
Respiro e vivo.

Vibram em mim estas notas musicais
Sinto-as como a tua mão
Em carícias
Teus lábios nos meus
Lentamente…
Numa dança onde se perde o norte
Dançando… devagar e forte

Inspiro esse som
Como se de cheiro se tratasse
Inalo… um aroma…bom…
Olhos, lábios, face…

Respiro e vivo
E sinto.

Balanço como árvore numa brisa subtil de fim de tarde
Subtil…
Subtil é o toque destas notas quando me invadem o corpo
E me enchem de fantasias, memórias e sorrisos
E lágrimas e tudo…
Saudade e desejo

Melancólica paixão que só musica traduz

Visto-me destes sons que me inundam a alma
E me engrandecem o desejo
Fecho os olhos e sinto
Respiro e vivo.


II.
O som da guitarra
Gemidos de prazer
Gritos de desejo
Sem letra … sem palavras
Puro som… tradução de sentimentos

De amantes
Para amantes
Sobre amantes
Como quem dá tudo o que tem para dar
Como quem quer receber.
Como musica
A fluir no corpo como agua da chuva
Como sangue nas veias
Como seda na pele

Como te sinto
Como te vivo
Como tu…
Ao som desta guitarra





By : Moon_T


5 comentários:

João C. Santos disse...

Quando te conheci, a melhor parte de ti era estares sempre calado, a escrever dizias tudo o que os olhos, os dedos recordavam... as dores, os amores passados, amantes, amigos, familia...

mas não gostavas...

hoje, de volta a todos os mundos das palavras voltas à entrega de escrever e tão bem que o fazes...

só te falta mais uma coisa e não é na escrita...

perder o medo.

Um abraço amigo

Azul disse...

Adorei este poema!

Não só porque a guitarra é o meu instrumento preferido mas principalmente pela "letra" fantástica que criaste.

Bj
Azul

An Ambush of Ghosts disse...

Como tá fechado fica aqui para que possas lêr.

"Sexta-feira, 20 de Junho de 2008
Não sei expressar-me.
As palavras não saem, vomito em seco.

Gostava de conseguir arrancar todos os bocados que
em mim estão a mais.
Cravar as unhas na carne até chegar ao bocado em questão
contornar os orgãos vitais e chegar só a esses bocados.
Agarra-los como quem agarra enfurecido uma pedra para arremessa-la.

Gostava de conseguir olhar esses bocados bem de frente e compreender verdadeiramente porque devem ser arremessados,
disseca-los até á ultima particula da célula,
escarrapachá-los numa folha com as palavras mais cruas que me lembrasse.

Com sangue a escorrer para as folhas
e um buraco aberto no peito
gostava de saber dizer bem alto

"Ahhhhh...
este bocado é então... ISTO!"

E pousa-lo sobre a folha.
Para que a folha se estilhaçasse finalmente."

End of copy

Moon T disse...

e mais nao te sabes expressar... como seria se o soubesses entao...?

Gostei
Gosto!

Obrigado pela partilha :)

Jade disse...

Olá!
Primeiro quero dizer-te que gostei do que li aqui.
Segundo a guitarra é um dos meus instrumentos favoritos.
Terceiro obrigado pela tua visita!
Quarto, irei voltar com mais tempo!
:)
Um beijo

Also...

Disclaimer: All images, unless otherwise noted, were taken from the Internet and are assumed to be in the public domain.In the event that there is still a problem or error with copyrighted material, the break of the copyright is unintentional and noncommercial and the material will be removed immediately upon presented proof.